A maternidade em episódios: picos de crescimento e #mamatona

Mamatona e outras coisas

A privação de sono e o cansaço ganharam um novo significado após o nascimento da Anna. Nem de longe se compara às noites viradas ao final de período da faculdade, a dormir tarde assistindo filmes ou fora de casa com amigos, ou ao sono já tumultuado ao final da gestação. Brincamos aqui em casa que descobrimos sempre mais um nível de cansaço e o quanto podemos suportar.

Passamos por fases de adaptação à nova rotina com um bebê, e ela também vai se ajustando aos pouquinhos. Os bebês tem várias fases que são chamadas picos de crescimento ou saltos de desenvolvimento. Eu não sabia disso, só descobri ao perceber mudanças no comportamento dela próximo aos 3 meses. Ela passava mais tempo no peito, não queria sair do colo e dormia muito mal. Na época, pesquisei um pouco e me deparei com este post do Macetes de Mãe explicando o assunto.

Os três meses ficaram para trás, e novamente nos deparamos com um pico de crescimento. Por 2 dias a Anna esteve irritadiça, só queria colo, dormiu mal. A duração das mamadas e o intervalo entre elas também aumentaram… Estamos no bagaço. Felizmente, como indulgência presenciamos várias coisas novas: ela descobriu os pés, vira de bruços e está a caminho de sentar.

Precisava de uma distração, algo leve e “inventei moda”, como diria minha mãe. Anteontem criei um desafio fotográfico para mamães e futuras mamães no instagram, o #mamatona. São 15 dias e 15 temas, com uma foto inspirada em cada tema. Expliquei direitinho aqui, e por enquanto apenas eu estou participando, porém espero que mais gente se anime. Quem sabe não é uma boa para conhecer mais gente? Se tem algo que descobri ser muito importante depois da gestação é ter uma rede de apoio e momentos para espairecer.

#mamatona
Convidei algumas mamães na cara dura, e fica aqui o convite para quem mais quiser participar. Dêem uma olhadinha nos temas e nas informações! Vamos, vamos!

September 17, 2016
/

A maternagem em episódios: introdução alimentar

Postado em Maternagem por
2016-setembro-maternagemalimentacao

A maternagem é o que respiro, faço, experencio todos os dias; então, fica difícil pensar em outro assunto. No instagram, meu feed sugere perfis maternos, tenho várias hashtags na busca relacionadas ao tema. Não há como dissociar do meu cotidiano (e nem quero) o que penso e escrevo sobre.

Por que estou falando isso tudo? Surgirão mais postagens relacionadas à maternagem e seus episódios, o que achar oportuno dividir.

Na sexta-feira fomos à consulta pediátrica de controle, pois a Anna completou 4 meses no dia 26. Tive mais um motivo para ficar feliz, além de estar tudo bem com o desenvolvimento da Anna. O pediatra liberou a introdução de sucos na alimentação dela. Começaremos com suco de laranja, e há outros nas sugestões do pediatra.

É muito importante conversar com o médico antes de iniciar a introdução, tanto para a liberação quanto para pegar as indicações para tal.

As papinhas vão ter que aguardar até mais a frente. Posso sonhar e imaginar os pratinhos até lá, não posso? Estou ansiosa demais, só de imagina-la comendo meu coração se aperta. É muita fofura! Nosso bebê está crescendo…

Essa semana descobri o instagram @gourmetzinhodomiguel de uma mamãe nutricionista em formação que compartilha receitas, dicas e refeições da introdução alimentar do filho. Os pratinhos são saudáveis e coloridos. Se der tempo, ou seja, se a Anna permitir, tentarei preparar algumas receitas a título de experiência na próxima semana.

O final de semana voou, e agora correrei para aproveitar o restinho dele!

September 4, 2016
/

Mesaniversário de 4 meses: como o tempo voa

Postado em Maternagem por
Maternagem e felicidade com a minha passarinha

O tempo me engana. É difícil acreditar que hoje fazem 4 meses desde o nascimento da minha passarinha, assim como é difícil relembrar de como era a vida antes dela.

Um pensamento recorrente na minha infância era como eu me chamaria Cíntia com 20, 30 ou 40 anos. Cíntia não soava como nome de “velha”, não parecia combinar. Soava como nome de mãe de alguém? Minha imaginação pueril não chegou a tanto.

Ser mãe era um desejo que parecia encaixar num futuro distante, e numa vida tão surreal quanto alguém me chamar pelo nome com 60 anos de idade. E adivinhem: aconteceu fora dos planos, mas está sendo uma experiência fantástica e diferente de tudo o que vivi até hoje.

Os dias são uma montanha-russa de sentimentos, de descobertas, nunca são iguais. Um dia ela estava mamando pela primeira vez, no outro mês já fixava o olhar no meu, começou a segurar os objetos e a emitir sons tão adoráveis quanto o seu olhar – que aqui em casa juramos ser idêntico ao olhar do Gato de Botas.

E assim se passaram quatro meses dos muitos que ainda estão por vir. Quando digo o nome dela, sempre me perguntam, “Só Anna?”. Não, o segundo nome dela é Felicidade.

Parabéns, minha filha. E que possamos comemorar muito mais dias, meses e anos juntas com o seu sorriso e alegria genuínos.

August 26, 2016
/

Saudosismo com Stranger Things

Postado em Resenha, Seriados por
Stranger Things

O pôster de Stranger Things me lembra a capa de um livro infanto-juvenil que algum dia tirei da prateleira despretensiosamente, e se tornou o meu livro favorito, do qual tirei várias referências para expressões que uso, ou ao qual faço alusões em situações tragicômicas. Meu livro favorito por mero acaso.

E foi assim, despretensiosamente, que eu cliquei para assistir Stranger Things no Netflix. A mesma sensação descrita ali em cima ainda toma conta de mim, que eu topara com combustível para minhas piadas sem graça e trocadilhos do dia-a-dia. Tal qual os personagens e o roteiro pedem auxílio a referências pop dos anos 80, incluindo um pôster do Tom Cruise na parede do quarto de Nancy.

O seriado combina várias referências legais a filmes e livros que marcaram os anos 70/80, e a infância dos anos 90 também – com suspense e ficção científica. Os cenários conseguem ser sombrios, causar tensão, mesmo que às vezes as cenas – e os sustos – sejam previsíveis.

O elenco é ótimo, tem a Winona Ryder, o David Harbour e mais um monte de atores competentes e carismáticos, com destaque para os guris aficionados em Dungeons and Dragons e para a Eleven (Millie Bobby Brown) que rouba a cena durante todos os episódios.

Stranger Things está sendo bastante comentado por aí, e vários links falam sobre as referências que podemos reconhecer na série, como este aqui e esse outro também.

Por consideração, estou me contendo para que esta seja uma resenha sem spoilers. Em contrapartida, considerem a dica para assistir este seriado joinha depois de ouvir um pouquinho de The Clash.

 

July 26, 2016
/

Aos poucos, aos poucos…

Postado em Generalidades por
Eu, lírico e volátil

Minha presença é intermitente por motivos além do perfeccionismo (nada parece bom o bastante para publicar). Há exatos 45 dias, a minha filha resolveu que era hora de conhecer o mundo aqui fora. E fazem 45 dias que eu me apaixonei por suas bochechas grandes e olhos (ainda) cinzas.

O plano para as próximas semanas é aparecer um pouco mais por aqui. Para os que ainda lêem ou acompanham, um salve.

June 10, 2016
/